Governo da Paraíba


Dia do Servidor Público
1 de setembro de 2012

Estudantes de escolas públicas fazem aulas de dança em Areia



Dança e performance à linguagem audiovisual. Essa foi a proposta da oficina de vivência artística de dança ministrada pela bailarina e atriz Roberta Savian. Durante quatro dias jovens de escolas públicas da cidade de Areia participaram da atividade no Polo “Contrastes”, no Colégio José Américo, no centro da cidade, que integrou a programação do 13º Festival de Artes de Areia, na região do Brejo.

O treinamento “Preparação Corporal para Intervenção Coreográfica em Espaços Públicos” ofereceu vivências dentro e fora do Colégio José Américo. A proposta, da atriz e bailarina gaúcha, trabalha criações coreográficas em espaços públicos. A oficina é uma extensão do trabalho de pesquisa, desenvolvido desde 2008 por Roberta Savian, denominado “Migrações Temporárias”. A bailarina já executou o trabalho nas cidades de Porto Alegre (RS), São Paulo, Rio de Janeiro, Havana (Cuba) e em Paris. De acordo com a artista a ideia é estabelecer uma rede colaborativa entre artistas do Brasil e Exterior.

Encantada com o Nordeste e, em especial, com a cidade de Areia, a professora se disse realizada em poder ‘apresentar’ uma nova perspectiva do universo da dança para as jovens. “Levo da Paraíba o encantamento, o calor dessas meninas, que conheceram a dança, a minha proposta, mas, ao mesmo tempo me mostraram a ingenuidade tão bonita, o deslumbramento pelo novo. Voltarei, com certeza a esta cidade tão linda”, disse emocionada.

Mas, a alegria e emoção não partiram apenas da professora. A estudante Carla Maciel, se despediu da oficina com “um aperto no coração”. “Vou sentir muita falta, da aula, da professora, ela é espetacular! Nunca dancei, não conhecia a dança, mas agora não quero parar, nunca mais”, afirmou a estudante.

O mesmo entusiasmo era perceptível na estudante Fernanda Soares, de 13 anos. “A ideia é muito interessante. Nem em sonho eu sabia que a gente podia fazer isso. Aprendi passos, a não ter vergonha. Vou sentir muita falta dessa novidade”, disse a jovem.

Roberta Savian é graduada em dança pela Universidade Estadual do Rio Grande do Sul. A artista integra a companhia cena teatral desde 2001, atuando em diversas produções premiadas pelo Brasil.

Em 2008, passou a se dedicar ao desenvolvimento de uma linguagem autoral e criou a performance “Corpo em Devir” , apresentado em Porto Alegre- RS, São Paulo, SP e Havana. O desdobramento dessa pesquisa gerou a vídeo-instalação coreográfica “Migrações Temporárias : Fronteiras Reais e imaginárias do Brasil”. O projeto, que recentemente participou de uma residência artística no Centre National de la Danse (Paris), recebeu o prêmio Funarte de dança Klauss Vianna 2010 na categoria circulação de espetáculos.

Resgatar a cultura, fomentar a essência da arte nos jovens, para o secretário de Estado da Cultura Chico César é uma das principais propostas do Festival de Artes de Areia. “O Festival joga a luz em novos talentos, que estão ofuscados”, disse.

O homem criou a arte por necessidade de existência, de comunicação, depois por apreciação, para divulgar crenças, estimular e distrair a si mesmo e aos outros. Festivais, a exemplo do Festival de Artes de Areia, exploram novas formas de olhar e interpretar objetos e cenas, socializam jovens, ultrapassam fronteiras. A partir de novas propostas, conceitos, tornam a cultura universal e apresentam mundos até então inimagináveis à comunidade.