14 de junho de 2011

Adutora Translitorânea beneficia população da Grande João Pessoa



Obra trará solução para abastecimento na Grande João Pessoa. Foto: José Marques/Secom-PB

A adutora Translitorânea, localizada no Litoral Sul da Paraíba, é a maior obra da segunda etapa do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC 2), orçada em R$ 160 milhões. A nova adutora beneficiará a população da Grande João Pessoa, no aporte de água trazidas dos rios Papocas e Cupiçura, além de garantir o abastecimento de água para a população de Alhandra e Conde.

O secretário executivo de obras do PAC, Ricardo Barbosa, afirmou que a obra representa 50% dos valores contratados para as 24 obras de recursos hídricos e esgotamento sanitário do Programa do Governo Federal.  “A obra estava parada há dez meses e vinha em ritmo lento desde janeiro de 2010, quando houve a auditoria do TCU, que identificou na época algumas irregularidades. Agora, por determinação expressa do governador Ricardo Coutinho, cuidamos de colocar em funcionamento todas as obras, mas priorizando a Translitorânea e a Adutora São José, em Campina Grande”, explicou.

Segundo o diretor da Cagepa, Deusdete Queiroga, órgão que gerencia a obra executada pela Empresa Camargo Corrêa, a Adutora Translitorânea vai resolver em definitivo o problema da intermitência no fornecimento de água para a população em vários bairros da Região Metropolitana de João Pessoa.

“Essa obra trará a solução no abastecimento de água que já dura 20 anos. Até o ano de 2030, a Grande João Pessoa terá seu problema de abastecimento resolvido. São 28 km de adutora. Em Gramame, será construída uma nova estação de tratamento. A Cagepa terá duplicada a produção de água para atender a demanda da população que cresceu muito”, destacou.

Benefício para os municípios – Para o prefeito da Capital, Luciano Agra, a adutora é uma obra de infraestrutura imprescindível para o futuro, mesmo a Paraíba estando com o crescimento demográfico estabilizado. “O maior benefício, além de resolver problemas de cidades mais próximas, é reforçar de imediato o tratamento de água de João Pessoa, para acabar de vez com essas intermitências que o sistema tem apresentado na Capital”, referendou.

O prefeito do município do Conde, Aluízio Régis, ressaltou que a nova adutora vai beneficiar mais de dez mil pessoas do seu município. “O Conde é uma cidade que está crescendo muito e o Governo do Estado demonstrou sua preocupação, uma vez que a nossa cidade litorânea tem capacidade para viabilizar grandes investimentos na área industrial, turística e imobiliária. O Conde é um celeiro da produção de frutas e hortaliças e a água é de fundamental importância para todos”, revelou.

O prefeito do município de Bayeux, Jota Júnior, destacou a importância da Translitorânea, no sentido de aliviar o drama populacional da cidade através da estabilidade no fornecimento hídrico. “Para nós, isso será uma maravilha. Muito embora Bayeux seja cercada de água, ela não é tratada. O abastecimento de água potável vai dar a cidade uma tranquilidade de pelo menos 20 anos porque nós sabemos que o maior problema do século é a água e nós vamos ter uma tranquilidade nesse sentindo, o que é uma alegria muito grande para nós. A cidade também será beneficiada em outro aspecto pela Cagepa que é o esgotamento sanitário, que pulará de oito para 85 por cento”, finalizou.